Judoca Marcelo Casanova é bronze na Geórgia e deve se confirmar como cabeça de chave na Paralimpíada

Judoca Marcelo Casanova é bronze na Geórgia e deve se confirmar como cabeça de chave na Paralimpíada
(Foto: Divulgação Recreio da Juventude)

Atleta do Recreio da Juventude (Caxias do Sul/RS) subiu ao pódio no GP de Tbilisi, neste domingo, 19

Via assessoria de imprensa

Marcelo Casanova encerrou a fase das principais competições do Judô Paralímpico antes dos Jogos de Paris com mais uma medalha. Neste domingo, 19, em Tbilisi, na Geórgia, o atleta do Recreio da Juventude foi bronze na terceira etapa do ano no Grand Prix da IBSA (Federação Internacional de Esportes Para Cegos).

Com a conquista, a tendência é de que Casanova chegue nos Jogos Paralímpicos de Paris como cabeça de chave na categoria Meio-pesado (-90Kg), da classe J2, para atletas com percepção de imagens. Agora, a expectativa é para a confirmação do nome do judoca do Recreio na convocação da Seleção Brasileira que vai para a capital francesa.

A conquista, além do impacto no ranking e na possibilidade de classificação de Casanova para a Paralimpíada, também mostra a força mental do atleta, que teve sua preparação para essa etapa prejudicada por conta das enchentes no Rio Grande do Sul. O judoca e o técnico do Recreio Giovani Cruz, que também está na Geórgia, precisaram ser resgatados de barco do hotel em Porto Alegre após retornarem de um período de treinamentos em Portugal.

– Essa etapa teve um gostinho especial, até pelo que vivemos no retorno de Portugal. Foi um momento tenso, um baque de ver o que estava acontecendo.

Conseguimos retornar para Caxias de forma segura, com o apoio do clube, e retomamos os treinamentos. Minha grande preocupação era, não só a falta de treino durante esses dias, mas também a questão mental, de como o Marcelo ia conseguir lidar com o momento que nós estivemos lá e o que vimos, coisa triste, coisa que é difícil apagar da cabeça – explicou Giovani, celebrando o poder de superação do atleta como uma resposta a tudo que passaram no último mês:

– Ele se mostrou muito forte aqui na Geórgia, conseguimos passar pelo primeiro adversário, paramos no segundo. Mas na minha cabeça eu tinha uma certeza de que existia alguma coisa especial para nós depois de tudo isso. Por conta desse tempo fora, perdi o aniversário de quatro anos do meu filho e, por sair antes para a competição, também não estive no aniversário da minha esposa. E a recompensa veio com uma medalha de bronze em um GP muito disputado onde estavam apenas os principais competidores da categoria. 

Com a vaga encaminhada, o foco da dupla agora é diferente. 

– Certamente nós estaremos lá, firmes e fortes. Com agora um projeto diferente, ele deixa de ser o projeto Paris e ele passa a ser o projeto medalha paralímpica – concluiu Giovani.

CAMINHO DA MEDALHA NA GEÓRGIA

Atualmente na quarta colocação do ranking mundial e da corrida paralímpica, Casanova avançou direto para as quartas de final na capital da Geórgia. No primeiro combate, o gaúcho dominou a luta contra o sul-africano Jacque Joubert. Com menos de um minuto de combate, Marcelo aplicou usou a força para jogar o adversário com as costas no chão. Inicialmente, a arbitragem havia sinalizado apenas o waza-ari, mas a revisão no vídeo mostrou o ippon, levando o judoca do Recreio para a semifinal. 

No duelo contra Davurkhon Karomatov, do Uzbequistão, vice-líder do ranking, Casanova foi surpreendido com um golpe muito rápido do adversário, antes dos 10 segundos de combate, sofrendo o ippon. Na decisão do bronze, o brasileiro mostrou que a derrota de forma inesperada na fase anterior não abalou seu foco.

Diante do alemão Daniel Goral, mais uma vez o campeão parapan-americano se impôs na força. Após pouco mais de um minuto e meio de luta, Casanova forçou a queda do adversário, aplicando um waza-ari. Sem dar tempo para o judoca da Alemanha respirar, Casanova foi para a sequência do golpe e imobilizou o adversário, garantindo sua medalha em mais uma etapa do GP da IBSA.

Agora, a expectativa é pela confirmação da CBDV (Confederação Brasileira de Desportos para Deficientes Visuais) do nome de Marcelo Casanova na lista da Seleção. Com a sequência de bons resultados e por estar sempre no topo do ranking da sua categoria, a tendência é de a convocação ser um caminho natural para o gaúcho.

O atleta Marcelo Casanova integra o projeto Recreio Paralímpico – Preparação Paris 2024 -financiado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, por meio do PRÓ-ESPORTE/RS.

Sobre o Recreio do Juventude

Um dos clubes mais tradicionais da Serra Gaúcha, com 110 anos de história, o Recreio da Juventude figura entre os 100 maiores clubes do Brasil.  A instituição conta com mais de 20 mil associados e uma equipe de mais de 200 colaboradores, que atuam em quatro sedes, localizadas em Caxias do Sul/RS. 

Atualmente o Recreio da Juventude tem atletas disputando campeonatos mundiais em suas categorias, com alguns inclusive cotados para representar a delegação brasileira nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2024, em Paris.  

Jornalista responsável

Eliana Camejo – MTB. 6158 – cel (51) 98158-7771
Leonardo Bandeira – cel (51) 98279-0071
camejo@camejo.com.br

Releases

Matérias enviadas por assessorias de imprensa. Envie seu release para o e-mail: peleiammacontato@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *